Perguntas Frequentes

  • O que é No e Low Poo? Qual a diferença entre eles?
    No Poo
    Low Poo
  • Como saber se posso fazer alguma das técnicas?
    Como os resultados variam de um cabelo para o outro, o jeito é testar.
  • O que é mais indicado para mim: No ou Low Poo?
    Segundo várias praticantes da técnica, o melhor é começar pelo Low poo para o cabelo e você irem acostumando com a diminuição do uso de sulfatos… Mas não é proibido começar pelo No, talvez seja apenas mais difícil retirar silicones, petrolatos e sulfatos de uma só vez.
  • Por que não utilizar sulfatos fortes?
    Os sulfatos considerados fortes agridem os fios, e apesar de retirar a sujeira dos fios, também retiram em excesso a oleosidade natural do cabelo. Normalmente, o cabelo de muitas pessoas é seco e elas não sabem o motivo… E aqui está ele: sulfatos fortes!
  • Por que não utilizar derivados de petróleo?
    Esses derivados vão se acumulando nos fios ao longo do tempo, e apenas sulfatos fortes são capazes de retirá-los. Ao abolir o uso de sulfatos fortes, aboli-se também o uso de derivados no petróleo, caso contrário, o cabelo ficará “encapado”, não possibilitando a penetração de hidratações, nutrições, reconstruções e outros tratamentos.
  • E quanto aos silicones… Posso usar?
    Na técnica do No Poo deve-se utilizar apenas os solúveis em água, pois não se está utilizando shampoo. Na técnica de Low Poo, todos podem ser utilizados. Devemos ter atenção quando se trata de silicones, pois em excesso, eles acumulam e deixam o cabelo pesado e oleoso.
  • Utilizo química no cabelo, posso aderir à técnica?
    Sim.
  • Tenho cabelos oleosos, posso aderir à técnica?
    Sim. Em alguns casos, o excesso de oleosidade é consequência da utilização em exagero de shampoos com sulfatos fortes, pois quanto mais retirarmos a oleosidade, mais nosso corpo produzirá.
  • Como começar a técnica escolhida?
    Deve-se usar pela última vez um shampoo com sulfato para limpar os derivados de petróleo e em seguida já utilizar produtos liberados para a técnica escolhida.
  • Quando comecei uma das técnicas, meu cabelo ficou estranho, com frizz… É normal?
    Sim, é completamente normal! Acontece com a maioria dos iniciantes porque o cabelo está tão acostumado com sulfatos, petrolatos e silicones que precisa se adaptar a nova rotina.
    * Observação: isso não obrigatoriamente irá acontecer com você.
  • Faço Low Poo, posso utilizar um produto liberado para No Poo?
    Sim. Todos os produtos de No Poo podem ser utilizados para Low Poo, porém, ao contrário não.
  • O que é Anfótero, Cocobetaíne e Cocamidopropyl Betaíne?
    São agentes limpantes que são capazes de remover silicones insolúveis em água. Eles estão presentes na composição de vários shampoos com sulfatos considerados fracos e podem ser comprados isoladamente e adicionados ao condicionador do Co-wash.
  • Ao lavar o cabelo apenas com Bicarbonato de Sódio, retiro derivados do petróleo e silicones insolúveis?
    Não.
  • Pratico a técnica Low Poo. É necessário adicionar Anfótero no meu condicionador do Co-wash?
    Se você continuar utilizando shampoo não é necessário adicionar Anfótero, caso contrário, sim.
  • Parabenos são proibidos nas técnicas?
    Não, porém, há suspeitas de que eles são perigosos à saúde.
  • Posso utilizar condicionador ou máscara como creme de pentear ou leave-in?
    Sim, e não há problema algum, porém, assim como tudo nas técnicas, o resultado varia de um cabelo para o outro.
  • O que significa dormir de abacaxi?
    Dormir de abacaxi é um método utilizado para se  conseguir um bom Day After. Para fazer o abacaxi, basta jogar o cabelo  todo para frente e prendê-lo com um lacinho meio frouxo. Como um rabo de  cavalo frouxo e para frente (o rabo irá parecer a coroa de um abacaxi).
  • Siglas:
    AR – Shampoo Anti-resíduos
    BC – Big Chop
    CC – Cronograma Capilar
    H – Hidratação
    N – Nutrição
    R – Reconstrução
    SH – Shampoo
    U – Umectação
  • Clique nas palavras para saber mais: 
    Big Chop
    Co-wash
    Cronograma Capilar
    Day After
    Fitagem 
    Método UCPE